Mostrando postagens com marcador João Paulo II. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador João Paulo II. Mostrar todas as postagens

23 de mai de 2012

Para transmitir retamente a Palavra de Deus

"Os elementos fundamentais da fé, que no passado toda e qualquer criança sabia, são cada vez menos conhecidos. Mas, para se poder viver e amar a nossa fé, para se poder amar a Deus e, consequentemente, tornar-se capaz de O ouvir corretamente, devemos saber aquilo que Deus nos disse; a nossa razão e o nosso coração devem ser tocados pela sua palavra. O Ano da Fé (...) deve ser uma ocasião para anunciarmos a mensagem da fé com novo zelo e nova alegria. Esta mensagem, na sua forma fundamental e primária, encontramo-la naturalmente na Sagrada Escritura, que não leremos nem meditaremos jamais suficientemente. Nisto, porém, todos sentimos necessidade de um auxílio para a transmitir retamente no presente, de modo que toque verdadeiramente o nosso coração. Este auxílio encontramo-lo, em primeiro lugar, na palavra da Igreja docente: os textos do Concílio Vaticano II e o Catecismo da Igreja Católica são os instrumentos essenciais que nos indicam, de maneira autêntica, aquilo que a Igreja acredita a partir da Palavra de Deus. E naturalmente faz parte de tal auxílio todo o tesouro dos documentos que o Papa João Paulo II nos deu...

Todo o nosso anúncio se deve confrontar com esta palavra de Jesus Cristo: «A minha doutrina não é minha» (Jo 7, 16). Não anunciamos teorias nem opiniões privadas, mas a fé da Igreja da qual somos servidores."

Papa Bento XVI, Homilia (05/04/2012) - grifos nossos.

25 de jan de 2012

O valor do Catecismo

"... na Igreja, veneramos extremamente as Sagradas Escrituras, apesar da fé cristã não ser uma «religião do Livro»: o cristianismo é a «religião da Palavra de Deus», não de «uma palavra escrita e muda, mas do Verbo encarnado e vivo». Por conseguinte a Sagrada Escritura deve ser proclamada, escutada, lida, acolhida e vivida como Palavra de Deus, no sulco da Tradição Apostólica de que é inseparável." (Papa Bento XVI. Verbum Domini, n° 7.)

É estranho – nos dias atuais, nem tanto – ver Padres censurando aqueles que estudam o Catecismo e criticando quem cita as palavras do Papa [eis aqui um exemplo].

Não deveriam dar graças a Deus por ver pessoas estudando o Catecismo da Igreja Católica? E dar graças a Deus por pessoas que citam ensinamentos e exortações do Papa? Será possível que um católico relativize a Palavra de Deus por causa do Catecismo e do Papa? Não seria justamente o contrário? Não seria o relativismo religioso - da Palavra de Deus - alimentado pela relativização da Sã Doutrina, da Sagrada Tradição, do Ministério Petrino, do Sagrado Magistério?

11 de dez de 2011

Igreja Católica, Economia e Doutrina Social

O que exatamente a Igreja Católica ensina sobre questões de Economia e de Doutrina Social?

A Sagrada Escritura condena a ganância por dinheiro, mas não condena o lucro. Tanto o Antigo quanto o Novo estamento afirmam que o trabalho e a cooperação da humanidade com Deus é demonstrada no sucesso e no progresso do mundo criado. Várias parábolas de Jesus refletem as atividades de negócio. O homem que busca um tesouro no campo, o comerciante que vai procurando pérolas finas, a parábola dos talentos e a comparação entre o administrador honesto e desonesto, são apenas algumas delas. Na parábola dos talentos, aqueles que conseguiram multiplicar a riqueza são elogiados por sua energia e perseverança, enquanto que o administrador preguiçoso, que para evitar os riscos e os obstáculos esconde o talento, é criticado.

9 de mai de 2011

Beatificação: o que é?

Com a recente Beatificação do Papa João Paulo II, muita gente pode ter se perguntado: Afinal, o que é a Beatificação? Qual a diferença da Canonização?