Mostrando postagens com marcador Sacramentos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Sacramentos. Mostrar todas as postagens

25 de jul de 2012

Quando nos ajoelhamos diante do Senhor...

"A genuflexão diante do Santíssimo Sacramento, ou o pôr-se de joelhos na oração exprimem precisamente a atitude de adoração perante Deus, também com o corpo. Daqui a importância de realizar este gesto não por hábito [ou apressadamente], mas com consciência profunda. Quando nos ajoelhamos diante do Senhor, professamos a nossa fé nele, reconhecemos que Ele é o único Senhor da nossa vida."

Papa Bento XVI, Catequese (27/06/2012).

Nota complementar: a genuflexão se faz dobrando o joelho direito até o chão (cf. Instrução Geral do Missal Romano, 274).

19 de jul de 2012

Matrimônio, fundamento da família

"A Igreja proclama incansavelmente que a família é fundada na instituição natural do matrimônio entre um homem e uma mulher e, no caso dos cristãos batizados, é um contrato que foi elevado por Cristo a nível sobrenatural de sacramento, através do qual os cônjuges participam no amor de Deus tornado-se uma só carne, prometendo amar-se e respeitar-se reciprocamente, permanecendo abertos ao dom dos filhos por parte de Deus."

Papa Bento XVI, Discurso (09/06/2012).

6 de jul de 2012

Santíssimo Sacramento, sinal supremo do verdadeiro Sagrado

"Deus, nosso Pai, (...) mandou o seu Filho ao mundo não para abolir, mas para levar a cumprimento também o sagrado. No ápice desta missão, na última Ceia, Jesus instituiu o Sacramento do seu Corpo e do seu Sangue, o Memorial do seu Sacrifício pascal. Agindo deste modo, Ele pôs-se no lugar dos sacrifícios antigos, mas fê-lo no âmbito de um rito, que ordenou aos Apóstolos que perpetuassem como sinal supremo do verdadeiro Sagrado, que é Ele mesmo."

Papa Bento XVI, Homilia (07/06/2012).

24 de jun de 2012

Domingo, dia do Senhor, Páscoa da semana

"O homem, enquanto imagem de Deus, é chamado também ao descanso e à festa. A narrativa da criação termina com estas palavras: «Concluída, no sétimo dia, toda a obra que tinha feito, Deus repousou, no sétimo dia, de todo o trabalho por Ele realizado. Deus abençoou o sétimo dia e santificou-o» (Gn 2, 2-3). Para nós, cristãos, o dia de festa é o Domingo, dia do Senhor, Páscoa da semana. É o dia da Igreja, assembleia convocada pelo Senhor ao redor da mesa da Palavra e do Sacrifício Eucarístico, (...) para nos alimentar d’Ele, entrar no seu amor e viver do seu amor. É o dia do homem e dos seus valores: convivência, amizade, solidariedade, cultura, contato com a natureza, jogo, desporto. É o dia da família, em que se há-de viver, juntos, o sentido da festa, do encontro, da partilha, também com a participação na Santa Missa. Queridas famílias, mesmo nos ritmos acelerados do nosso tempo, não percais o sentido do dia do Senhor! É como o oásis onde parar para saborear a alegria do encontro e saciar a nossa sede de Deus."

Papa Bento XVI (Homilia, 03/06/2012).